X

Uso do simulador de direção deixa de ser obrigatório nas autoescolas do RS

Caroline Borba 20 de Junho de 2022

Uso do simulador de direção deixa de ser obrigatório nas autoescolas do RS


Medida torna valor do curso ofertado pelos CFCs do Estado mais atrativo

 

Você já deve saber que o uso do simulador de direção veicular deixou de ser obrigatório nas autoescolas do Rio Grande do Sul, mas o que a facultatividade das aulas práticas com o equipamento nos Centros de Formação de Condutores do Estado representa?

 

A conta é simples: o fim desta obrigatoriedade torna mais viável o investimento para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação para novos motoristas, já que hoje este custo no RS é o mais alto do país.

 

Por outro lado, para pagar um valor mais em conta, alunos em busca da expedição da primeira CNH abrirão mão dessa possibilidade de aprendizagem tão necessária para quem nunca teve contato com um automóvel.

 

Quando optar pelo uso do simulador

 

A experiência de sentar no lugar do motorista, pegar no volante, manusear câmbio, embreagem, luzes e simular a condução de um carro é um momento de descoberta para quem busca conquistar a categoria B, como recém-habilitado, mas desconhece totalmente o funcionamento básico de um veículo automotor.

 

Quando tudo é novidade, ter 20 horas de aula no simulador, que são o período mínimo de prática estabelecido pelo Contran, tornam-se insuficientes diante de tantas informações que precisam ser absorvidas pelos futuros condutores.

 

É preciso estar ciente de que existindo a necessidade de contratação de mais carga horária, a economia inicial desaparece, ficando “elas por elas”. Por isso, a recomendação é de avaliar os conhecimentos prévios do novo motorista, antes de dispensar o uso do simulador no processo de obtenção da habilitação.

 

Quando acabou a obrigatoriedade do simulador no Rio Grande do Sul?

 

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região acabou com a obrigatoriedade do simulador de direção veicular em aulas práticas para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação durante julgamento realizado em 31 de maio. A decisão dos desembargadores do TRF4 mantém os efeitos da Resolução 778/2019, do Conselho Nacional de Trânsito, que torna facultativo o uso do equipamento para a expedição do documento.

 

A mudança se tornou necessária, uma vez que a exigência do sistema de simulação foi identificada como um dos fatores que tornam a CNH do RS a mais cara de todo o Brasil. Com a facultatividade do seu uso, que já acontece nos demais estados brasileiros, os gaúchos que buscam pela primeira habilitação passam a ter um alívio no bolso.

Envie-nos suas dúvidas e sugestões através do formulário abaixo.


Categorias:

Tags:

Autor:
Caroline Borba

Next Post

Próximo Post

Aprenda a identificar os barulhos do carro que indicam defeitos

20 de Junho de 2022

Posts relacionados